Cadê o pronome? Sumiu?: Contextos de preferência de omissão ou substituição dos pronomes oblíquos da terceira pessoa no âmbito do ensino de PLE/PL2 para hispanofalantes

Authors

Abstract

Resumo: As gramáticas prescritivas apontam o uso dos pronomes oblíquos da terceira pessoa como uma referência ao objeto direto ou objeto indireto feita pelo interlocutor. Além disso, destaca-se a colocação tanto antes (ênclise) quanto depois (próclise) do verbo através das formas o, os, a, as e seus alomorfes, além do pronome lhe. Porém, tais apontamentos não dão conta do verdadeiro uso desses pronomes no discurso oral do cotidiano brasileiro, sobretudo, a “omisão” ou “substituição” deles. Considerando os contextos discursivos em que se evidencia a omissão/substituição dos pronomes oblíquos da terceira pessoa, esta pesquisa visa descrever e analisar tais situações e valores semântico-pragmáticos. Para tanto, baseamo-nos no modelo da Gramática Funcional do Discurso (Hengeveld, 2004), que considera este como um processo top-down que parte da intenção do falante para expressão das formas linguísticas, além do contexto discursivo e os interlocutores. Para a consecução de nossos objetivos, falas do programa Altas Horas da Rede Globo e da transcrição de uma acareação foram levantadas e/ou transcritas. Os dados apresentados mostram os contextos discursivos e as escolhas feitas pelos interlocutores que vão além das estruturas apontadas tradicionalmente, evidenciando, dessa maneira, situações em que tais pronomes são evitados ou substituídos por outras estruturas. Os resultados nos permitem entender as dificuldades e/ou desafios que os aprendizes hispanofalantes de PLE/PL2 podem ter na hora de estudar e entender os contextos/casos em que os pronomes oblíquos da terceira no português brasileiro são omitidos ou substituídos por outras escolhas linguísticas.

 

Palavras-chave: Gramática Funcional do Discurso; Português Brasileiro; Espanhol, PLE/PL2; Gramática-Comparada

 

Abstract: Prescriptive grammar books point out the use of third-person object pronouns as references made by the interlocutor to direct or indirect objects. Furthermore, their position in relation to the verb, before (enclitic) or after (proclitic), under the forms o, os, a, as and their variations, and the pronoun lhe is highlighted. However, such descriptions do not cover the real use of such pronouns in oral discourse of the Brazilian every day, specifically, when they are not used. Considering the discursive contexts in which object pronouns may not occur, this paper aims to describe and analyze such contexts and semantic-pragmatic values. For this, we base on the Functional Discourse Grammar model (Hengeveld, 2004), which considers it a top-down process that goes from the speaker’s intention to the expression of linguistic forms, apart from the discursive context and interlocutors. For this study, dialogues from the program “Altas Horas” from Rede Globo and from the transcription of a confrontation were gathered and/or transcribed. The data showed discursive contexts and selections made by the interlocutors, that go beyond the structures traditionally described, proving that situations in which such pronouns are avoided or substituted by other structures. Also, results allow us to understand the difficulties and/or challenges that Spanish- speaking PLE/PL2 students may have when studying and understanding the contexts/cases in which third-person object pronouns in Brazilian Portuguese do not occur or are substituted by other linguistic choices.


Keywords: Functional Discourse Grammar; Brazilian Portuguese; Spanish; PLE/PL2; Contrastive Grammar

Downloads

Published

2023-12-31

How to Cite

Meléndez-Robles, O. X. (2023). Cadê o pronome? Sumiu?: Contextos de preferência de omissão ou substituição dos pronomes oblíquos da terceira pessoa no âmbito do ensino de PLE/PL2 para hispanofalantes . Portuguese Language Journal, 17. Retrieved from https://portugueselanguagejournal.com/index.php/home/article/view/96